Petróleo fecha abaixo da máxima, a US$ 66,74

Os contratos futuros de petróleo subiram ligeiramente na New York Mercantile Exchange (Nymex), com os operadores optando por realizar lucro dos ganhos obtidos pela manhã, apesar das preocupações domésticas e internacionais relacionadas à oferta, disseram analistas. O broker de energia do ABN Amro Inc em Nova York, Lee Fader, disse que apesar das preocupações com os testes de lançamento de mísseis do Irã, queda da oferta de gasolina nos EUA e a temporada de furacões deste ano, os futuros de petróleo provavelmente vão precisar de outra dose de notícias bullish (de alta dos preços) para desafiar a marca de US$ 70,00 o barril. Contudo, o fracasso dos futuros de petróleo em sustentarem os ganhos iniciais desta segunda-feira não é necessariamente um presságio de uma queda mais acentuada dos preços. "Tecnicamente, o petróleo ainda está numa tendência de alta, portanto, não é como se algo tivesse realmente mudado", disse Fader. "(O petróleo) tem sido volátil, mas ainda está mantendo bons ganhos", acrescentou. Na Nymex, os contratos de petróleo para maio fecharam em US$ 66,74 o barril, alta de US$ 0,11 (0,17%). A mínima foi de US$ 66,55 e a máxima de US$ 67,90. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para maio fecharam em US$ 66,84 o barril, alta de US$ 0,93 (1,41%). A mínima foi de US$ 66,51 e a máxima de US$ 67,93. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.