Petróleo fecha abaixo de US$ 66; gasolina lidera perdas

Os contratos futuros de petróleo voltaram a cair mais de US$ 1,00 e fecharam abaixo de US$ 66,00 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex), pressionados pelos dados apontando um crescimento acima do esperado dos estoques comerciais norte-americanos de gasolina, disseram analistas. Os futuros de gasolina lideraram as perdas do mercado de energia, com os contratos para entrega em fevereiro fechando a US$ 1,6646 o galão, queda de 798 pontos (4,57%). O movimento de baixa começou depois que o Departamento de Energia (DOE) informou que os estoques de gasolina aumentaram em 3,2 milhões de barris na semana passada, de uma expectativa dos analistas de +1,1 milhão de barris. Esse dado levou os preços dos futuros de gasolina a caírem 1.104 pontos na mínima intraday, antes de se recuperarem um pouco até o fechamento. Nas últimas três semanas, os estoques de gasolina cresceram 10,5 milhões de barris, de um crescimento médio tradicional de 8 milhões de barris para as três primeiras semanas de janeiro. "Há mais colchão disponível para resistir a redução da produção de gasolina por causa dos trabalhos de manutenção (das refinarias)", disse Doug MacIntyre, analista do DOE, referindo-se ao que muitos esperam que seja um período mais intenso que o normal de manutenção das refinarias no primeiro trimestre. Na Nymex, os contratos de petróleo para março fecharam em US$ 65,85 o barril, queda de US$ 1,21 (1,80%); a mínima foi de US$ 65,45 e a máxima de US$ 66,70. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para março fecharam em US$ 64,23 o barril, queda de US$ 1,11. A mínima foi de US$ 63,87 e a máxima de US$ 65,17.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2006 | 19h36

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.