Petróleo fecha acima de US$ 59 em Nova York

Os contratos futuros do petróleo ultrapassaram os US$ 59 por barril, a nova máxima das últimas quatro semanas, estendendo o movimento de alta iniciado no fim de janeiro com a queda nas temperaturas na região Nordeste dos EUA. As preocupações de que as baixas temperaturas vão aumentar a demanda por óleo de calefação e diminuir os estoques, combinadas com a inquietação com relação à oferta dos principais países exportadores de petróleo levantaram os preços do combustível. "A alta do mercado de petróleo está sendo orientada pelo medo do desconhecido no fim de semana, seja a temperatura ou os riscos geopolíticos", disse Phil Flynn, da Alaron Trading. A arrancada dos preços ocorreu com os operadores estabelecendo novas apostas de que os preços vão subir novamente, impulsionados em parte pela continuidade das temperaturas mais frias ao longo da Costa Leste dos EUA. No pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para março fecharam a US$ 59,02 por barril, com alta de US$ 1,72, ou 3%. A mínima foi de US$ 57,05 e a máxima de US$ 59,10. Na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres, os contratos do petróleo Brent para março subiram US$ 1,69, ou 2,97%, e fecharam a US$ 58,41 por barril. A mínima foi de US$ 56,65 e a máxima de US$ 58,50. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.