Petróleo fecha com avanço de 2,5% por estoques menores

Os contratos futuros de petróleo fecharam em forte alta na New York Mercantile Exchange (Nymex) nesta quarta-feira, 18, e registraram a maior valorização desde 27 de agosto, tanto em dólar quanto em porcentual. A commodity foi influenciada pela manutenção dos estímulos nos Estados Unidos e pela queda nos estoques de petróleo do país na última semana.

Agencia Estado

18 de setembro de 2013 | 17h04

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para outubro, subiu US$ 2,65 (2,51%), fechando a US$ 108,07 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para novembro avançou US$ 2,41 (2,23%), terminando a sessão a US$ 110,60.

Antes da reunião do Federal Reserve, o banco central norte-americano, o petróleo era negociado em forte alta. Mais cedo, o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) revelou uma queda de 4,368 milhões de barris de petróleo na semana encerrada em 13 de setembro. Analistas consultados pela Dow Jones projetavam uma redução de 1,2 milhão de barris nos estoques semanais da commodity. Esse é o menor nível dos estoques desde março de 2012.

Às 15h (horário de Brasília), o Fed anunciou a manutenção dos estímulos de US$ 85 bilhões em compras de ativos por mês nos EUA, contrariando a expectativa de uma redução de US$ 10 bilhões a US$ 15 bilhões, o que levou o dólar e os Treasuries a acentuar perdas, enquanto o ouro e as Bolsas norte-americanas avançaram. Os índices S&P 500 e o Dow Jones renovaram suas máximas históricas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.