Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Petróleo fecha em alta a US$ 72,52 após 5 dias de baixa

Para analistas, commodity passou por recuperação técnica

Álvaro Campos, da Agência Estado,

25 de agosto de 2010 | 17h55

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta, encerrando uma sequência de cinco sessões de queda, mesmo com o relatório do Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês) mostrando que os estoques da commodity e seus derivados permanecem em níveis recordes.

A alta de hoje aconteceu após o petróleo ter atingido uma mínima durante a sessão abaixo de US$ 71 o barril, o menor nível em mais de dois meses, pouco depois de os dados do DOE terem mostrado uma alta inesperada nos estoques de petróleo bruto.

Analistas dizem que a recuperação parece ser técnica, após a forte tendência de queda do petróleo nas últimas semanas, depois de ter superado US$ 82 o barril no começo do mês. A marca de US$ 70 têm sido um importante nível de suporte há muitos meses, e o relatório sobre os estoques forneceu aos operadores que apostavam que os preços iriam cair uma chance de realizar lucros.

Os contratos de petróleo com entrega para outubro fecharam em alta de US$ 0,89 (1,24%), a US$ 72,52 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Na plataforma ICE, o petróleo do tipo Brent fechou em alta de US$ 1,10 (1,52%), a US$ 73,48 o barril.

O óleo para aquecimento com entrega para setembro liderou a alta entre os combustíveis, fechando com ganho de US$ 0,0349 (1,8%), a US$ 1,9706 o galão. A temporada de férias de verão nos EUA tradicionalmente acaba após o ferido do Dia do Trabalho, e os investidores estão focados em começar a mudar da gasolina para o óleo de aquecimento. Os contratos de gasolina reformulada (RBOB) com entrega para setembro fecharam em alta de US$ 0,0145 (0,8%), a US$ 1,8639 o galão. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarrilNymexestoques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.