Petróleo fecha em alta, apesar de comentário saudita

Os contratos futuros do petróleo se recuperaram à tarde e fecharam em alta na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Bolsa Intercontinental (ICE, em Londres). Pela manhã, os futuros do petróleo caíram em reação a novas declarações do ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, sobre as "condições saudáveis" do mercado. À tarde, os preços passaram a subir porque operadores decidiram ir às compras, convencidos de que os preços podem ter alcançado um patamar mínimo perto do nível psicologicamente importante dos US$ 50 por barril."Talvez dentro de uma semana nós olhemos para trás e digamos que essa era a mínima, mas eu não me sentiria confortável dizendo isso depois de apenas um dia de alta", comentou o analista Mike Fitzpatrick, da Fimat USA. Esse tipo de operação dos mercados futuros indica que os investidores que apostavam na queda do preço do petróleo resolveram diminuir sua exposição aos riscos, comprando contratos que neutralizassem suas fortes apostas de queda. O consultor da Cameron Hanover, Peter Beutel, avalia que os preços continuam suscetíveis a novas baixas e que seria necessário que eles superassem US$ 54 por barril para haver qualquer chance de uma reversão de tendência. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para fevereiro fecharam a US$ 52,24 por barril, em alta de US$ 1,03 ou 2,01%. A mínima foi em US$ 50,28 e a máxima em US$ 52,36. Na ICE, os contratos do petróleo do tipo Brent para março fecharam a US$ 52,78 por barril, em alta de US$ 1,16 ou 2,25%, com mínima em US$ 50,75 e máxima em US$ 53,03. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.