Petróleo fecha em alta após dados de emprego dos EUA

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta nesta sexta-feira, 08, após divulgação dos dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos, que vieram acima do esperado. O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para dezembro, subiu US$ 0,40 (0,4%), fechando a US$ 94,60 o barril na Nymex. Na semana, os preços da commodity se mantiveram perto da estabilidade. Durante a manhã, o petróleo reduziu os ganhos e recuou para US$ 94,23 por barril, mas voltou a subir depois das análises do payroll.

EDGAR MACIEL, Agencia Estado

08 de novembro de 2013 | 19h49

Os Estados Unidos criaram 204 mil novas vagas de trabalho em outubro, acima da expectativa inicial de 120 mil. Os resultados acima do esperado colaboram para uma perspectiva positiva para a demanda de energia, o que fez os preços se sustentarem em alta na sessão de hoje.

"Os dados melhores que o esperado trazem de volta o sentimento de redução dos estímulos em breve", disse Tarq Zahir, analista da Tyche Capital Advisor. "O dólar mais forte não pressionou os preços do petróleo", complementou.

Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para dezembro também registrou alta e subiu US$ 1,66 (1,6%), fechando a US$ 105,12, um dia após registrar a menor cotação dos últimos quatro meses. Na semana, a queda foi de 0,8% nos preços.

O mercado se mantém atento à reunião entre as potências ocidentais para negociar sobre o programa nuclear do Irã, em Genebra. Caso haja um acordo, as sanções que reduziram as exportações de petróleo em mais de 1 milhão de barris por dia podem ser aliviadas e assim a oferta da commodity pode aumentar.

Nesta sexta-feira, 08, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, afirmou que pretende viajar neste sábado, 09, a Genebra para também participar do acordo. Fontes ocidentais iranianas disseram que, apesar dos avanços, Catherine Ashton e o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, ainda não haviam concluído a redação de um esboço de acordo a ser buscado nos próximos meses. Entre os principais temas em discussão encontram-se a extensão do eventual alívio às sanções internacionais contra o Irã e até onde irá a república islâmica na contenção de seu programa de enriquecimento de urânio e na abertura às inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.