Petróleo fecha em alta com ajuda do PMI chinês

Os contratos futuros de petróleo para entrega em dezembro negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta de US$ 0,25 (0,25%) nesta quinta-feira, 24, a USS$ 97,11 por barril. Após três quedas seguidas, esta foi a primeira valorização da commodity na semana, depois de o Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês) e o American Petroleum Institute (API) divulgarem relatórios que registram aumentos de 5,246 milhões e 3,0 milhões de barris, respectivamente, nos estoques da semana até 18 de outubro.

Agencia Estado

24 de outubro de 2013 | 18h01

Durante toda a quinta-feira o mercado de petróleo ficou volátil. Às 11h57, os contratos eram negociados pelo quarto dia em queda (-0,65%), a USS$ 96,23 por barril na Nymex. Por volta das 15h, o mercado virou e já registrava alta de 0,22%, cotado a US$ 97,07 por barril.

Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo tipo Brent para dezembro fechou em baixa de US$ 0,81 (0,75%), a US$ 106,99 por barril.

A melhora nos dados de manufatura da China ajudou o mercado de petróleo. O índice dos gerentes de compras (PMI) da indústria chinesa medido pelo HSBC avançou para 50,9 em outubro, em comparação com 50,2 em setembro. O PMI chegou ao nível máximo em sete meses, e é um bom presságio para as perspectivas de demanda por energia do país.

Apesar da pequena recuperação do preço da commodity, o analista técnico da GFT Markets, Fawad Razaqzada, diz que a tendência geral ainda é de baixa. "Uma das maiores razões por trás da queda do preço é o excesso de petróleo acumulado nos estoques comerciais", disse. "Isso ocorre devido ao aumento na taxa de produção de petróleo e também a queda na taxa de processo de petróleo bruto, um resultado esperado após o fim do verão", explicou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.