Petróleo fecha em alta com fatores geopolíticos

Os contratos futuros de petróleo se aproximaram da marca de US$ 64 o barril nesta quinta-feira, em NY, impulsionados pela ofensiva militar norte-americana contra o Iraque e pela alta dos preços da gasolina. O ataque liderado pelos EUA contra os iraquianos hoje, descrito como o maior desde a invasão do país em 2003, não deverá prejudicar ainda mais as exportações daquele país, mas analistas dizem que a reação rápida dos preços da commodity é um sinal de que os operadores continuam preocupados com o fornecimento do Golfo Pérsico, apesar dos estoques elevados nos EUA. "(O ataque) exacerbou a tensão na região", disse a analista Kyle Cooper, do Citigroup. A gasolina também teve alta forte, de 3,59 cents, para US$ 1,865 o galão, enquanto o óleo para aquecimento subiu 2,73 cents, para US$ 1,809 o galão. Além do Iraque, o acirramento da retórica dos EUA sobre a questão iraniana também estimulou os ganhos. A Casa Branca divulgou o documento "Estratégia de Segurança Nacional", afirmando que a diplomacia "tem de ser bem-sucedida para que um confronto seja evitado" na questão nuclear iraniana, enquanto o parlamentar republicano Tom DeLay disse que os EUA devem atacar o Irã, se o país estiver fornecendo armas para o Iraque. Em NY, os contratos de petróleo para abril fecharam em US$ 63,58 o barril, alta de US$ 1,41 (2,27%). Em Londres, o petróleo do tipo Brent fechou em US$ 62,91 o barril, com queda de US$ 0,03 (-0,05%). As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.