Petróleo fecha em alta com ganhos da Bolsa de NY

Os contratos futuros do petróleo subiram, reagindo à alta de mais de 100 pontos do índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, que fez crescer a confiança de que a expansão econômica continuará estimulando a demanda global pelo produto. Os preços também foram apoiados pelas expectativas de que os dados que o governo dos EUA divulgará amanhã mostrarão um declínio nos estoques de gasolina e derivados de petróleo pela quarta semana consecutiva. Analistas esperam que os dados da Agência de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês), do Departamento de Energia, mostrará uma queda de 1,4 milhão de barris nos estoques de gasolina e de 2,3 milhões de barris nos estoques de derivados, que incluem diesel e óleo de calefação. Os estoques de petróleo devem crescer 2 milhões de barris, segundo as previsões. "Todos estarão olhando os mercados acionários, já que muito da direção tem vindo do Oriente e a grande preocupação é que um declínio forte das ações leve a economia para baixo e reduza a demanda e os preços do petróleo", disse o economista Bart Melek, da BMO Capital Markets em Toronto. Um relatório da EIA estimando que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) cortou mais sua produção em fevereiro para cumprir sua planejada redução de 1,7 milhão de barris por dia também ajudou os preços. Os dez membros da Opep sujeitos aos cortes produziram 26,46 milhões de barris por dia em fevereiro, cerca de 580 mil barris por dia além da meta de 25,88 milhões barris/dia que a organização persegue. Os preços do óleo de calefação lideraram a alta do mercado, ante as previsões de temperaturas mais frias nas regiões Leste e Nordeste, que é fonte de 80% da demanda por óleo de calefação nos EUA. O óleo de calefação para abril subiu 2,33 centavos de dólar, ou 1%, para US$ 1,7481 o galão. A gasolina RBOB (reformulated Gasoline blendstock ofr oxygenate blending) subiu 0,47% para US$ 1,8533 o galão. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o petróleo para abril subiu US$ 0,62, ou 1,03%, e fechou em US$ 60,69. Em Londres, na ICE, o contrato para abril do Brent subiu 1,55%, para US$ 61,48 o barril. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.