Petróleo fecha em alta com Oriente Médio e Nigéria

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Bolsa Internacional de Commodities (ICE, de Londres). O ganho nos preços do petróleo ocorreu hoje em reação a uma combinação de fatores: a preocupação com a ofensiva militar de Israel no Líbano; a interrupção da produção de uma unidade da Shell na Nigéria, depois de um vazamento não explicado; e o crescimento da demanda por derivados nos EUA. Ontem, o Departamento de Energia (DoE) norte-americano informou que a demanda dos EUA por derivados de petróleo foi de 4,154 milhões de barris por dia, em média, no período de quatro semanas até 21 de julho, com crescimento de 6% em relação ao mesmo período de 2005. Para o analista Doug MacIntyre, do DoE, boa parte desse crescimento da demanda resultou do crescimento forte da economia dos EUA. Hoje, o DoE informou que houve uma redução de 7 bilhões de pés cúbicos nos estoques norte-americanos de gás natural na semana passada. A notícia fez subirem os futuros de gás negociados na Nymex, o que contribuiu para a alta dos preços do petróleo e de seus derivados. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para setembro fecharam a US$ 74,54 por barril, em alta de US$ 0,60. A mínima foi em US$ 73,72 e a máxima em US$ 74,92. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para setembro fecharam a US$ 75,01 por barril, em alta de US$ 1,01, com mínima em US$ 73,97 e máxima em US$ 75,36. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.