Petróleo fecha em alta de 1,86% com dado de estoques

Os contratos futuros de petróleo subiram mais de US$ 1,00 o barril, depois que os dados semanais do governo norte-americano mostraram que os estoques de petróleo e gasolina estão bem abaixo do que os analistas esperavam. Segundo o Departamento de Energia dos EUA, houve declínio de 4,8 milhões de barris nos estoques de petróleo na semana até 2 de abril, enquanto se previa aumento de 2 milhões de barris. Os estoques de gasolina caíram 3,8 milhões de barris, ante queda esperada de 1,4 milhão de barris. Os derivados recuaram 1,3 milhão de barris, menos do que a queda esperada de 2,3 milhões de barris. A queda nos estoques de petróleo está relacionada ao declínio de 10,4% nas importações dos EUA, para 1,34 milhão de barris por dia, o nível mais baixo desde setembro de 2004. O Departamento de Energia disse que os atrasos nos petroleiros provocados pelo fechamento temporário do canal de Houston foi responsável por parte do declínio nas importações, mas a queda nas compras externas de gasolina não teve razão clara. O canal reabriu na sexta-feira e a queda nas importações deve ser temporária, comentou um analista. O contrato da gasolina RBOB (reformulated gasoline blendstock for oxygenate blending) subiu 2,28% para US$ 1,8955 o galão. O contrato subiu cerca de 40% desde 18 de janeiro, quando estava no menor nível em 11 meses, por causa dos problemas em refinarias e da previsão de forte demanda sazonal. Enquanto os estoques estão perto da média, a demanda implícita por gasolina subiu nos últimos cinco anos. Nas quatro semanas até 2 de março estava 7,4% acima do período equivalente em 2002. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato de abril do WTI fechou em alta de US$ 1,13, ou 1,86%, em US$ 61,82 o barril. Na ICE londrina, o barril do Brent para abril subiu 1,92%, para US$ 62,57. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.