Petróleo fecha em alta de 2,1% a US$ 102,70 em NY

Na plataforma ICE, os contratos do petróleo Brent para julho subiram 1,78%, para US$ 116,73 o barril

Paula Moura, da Agência Estado ,

31 de maio de 2011 | 17h23

Os contratos futuros de petróleo fecharam no nível mais alto em três semanas hoje, depois de o dólar cair frente ao euro e uma rede de oleodutos e um centro importante de distribuição serem fechados nos EUA.

Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato de petróleo bruto para julho subiu US$ 2,11, ou 2,1%, para US$ 102,70 o barril, nível mais alto desde 10 de maio. Na plataforma ICE, os contratos do petróleo Brent para julho subiram US$ 2,05, ou 1,78%, para US$ 116,73 o barril. O dólar fraco geralmente impulsiona os preços do petróleo, commodity denominada em dólar, que se torna mais barata para compradores que usam outras moedas.

O avanço do euro para o nível mais alto em três semanas frente ao dólar seguiu-se à notícia, dada pelo Wall Street Journal, de que a Alemanha pode abandonar um esforço anterior para reprogramar a dívida grega, a fim de facilitar um novo pacote de ajuda ao país. A concessão gerou otimismo de que a Europa esteja perto de superar o impasse sobre as necessidades de financiamento da Grécia antes que o país fique sem dinheiro em meados de julho.

Além disso, um pequeno vazamento numa estação da rede de oleodutos Keystone, da TransCanada, levou a operadora a fechar todo o sistema de bombas, afirmou o porta-voz da empresa, Terry Cunha. A rede Keystone conecta campos de petróleo em Alberta, no Canadá, com o centro de distribuição de petróleo em Cushing, de Oklahoma (EUA), ponto de entrega dos contratos de petróleo negociados na Nymex.

O porta-voz disse que a empresa espera que seu cronograma de entregas em Cushing não seja afetado. Ele disse que a companhia está trabalhando para abrir o oleoduto "assim que possível".

Nos próximos dias, os operadores vão voltar suas atenções para a pesquisa semanal do Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês) sobre os estoques de petróleo e derivados. O relatório será divulgado na quinta-feira, um dia depois do usual, por conta do feriado do Memorial Day, ontem.

Analistas ouvidos pela Dow Jones preveem que o relatório revele uma queda de 900 mil barris nos estoques de petróleo bruto na semana passada; a previsão para os estoques de gasolina é de uma redução de 600 mil barris e a previsão para os estoques de destilados, de um crescimento de 100 mil barris. O Instituto Americano do Petróleo (API), do setor privado, deve divulgar seu próprio relatório sobre estoques amanhã, também com atraso de um dia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarrilNymexICE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.