Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Petróleo fecha em alta puxado por dados dos EUA

Contrato para fevereiro negociado na Nymex subiu US 0,29, ou 0,29%, para US$ 99,65 por barril

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2011 | 19h03

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em alta, impulsionados por indicadores positivos sobre a economia dos EUA, embora outros dados do governo do país tenham apontado um leve aumento nos estoques norte-americanos da commodity.

O contrato do petróleo para fevereiro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) subiu US 0,29, ou 0,29%, para US$ 99,65 por barril. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para fevereiro avançou US$ 0,45, ou 0,42%, para US$ 108,01 por barril.

Após caírem no início da sessão, os preços do petróleo passaram a subir, acompanhando a reação positiva das bolsas aos indicadores econômicos divulgados nos EUA. O Departamento de Trabalho do país divulgou que o número de norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego aumentou 15 mil na semana encerrada em 24 de dezembro em relação à semana anterior, para 381 mil. Apesar da alta, essa foi a quarta semana consecutiva em que os pedidos ficaram abaixo da marca de 400 mil - algo que, segundo economistas, indica melhora nas condições da econômicas.

Além disso, o índice de vendas pendentes de imóveis dos EUA avançou 7,3% em novembro ante o mês anterior, para 100,1 pontos - maior nível desde abril de 2010 -, segundo dados divulgados pela Associação Nacional de Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês). O resultado superou em muito a previsão dos analistas, que esperavam um aumento de 0,5%. Na comparação com novembro do ano passado, a alta foi de 5,9%.

Os dados sobre os estoques de petróleo foram menos estimulantes. Segundo o Departamento de Energia dos EUA, os estoques norte-americanos da commodity aumentaram 3,899 milhões de barris na semana encerrada em 23 de dezembro, contrariando as expectativas de analistas, que previam um declínio de 2,2 milhões de barris.

Apesar disso, "o aumento do Departamento de Energia foi muito menor do que o divulgado pelo API", disse Peter Donovan, vice-presidente e operador da Vantage Trading, acrescentando que isso trouxe certo alívio aos investidores. Ontem, o American Petroleum Institute (API) divulgou que os estoques norte-americanos de petróleo cresceram 9,57 milhões de barris na semana encerrada em 23 de dezembro. 

Outro fator que prendeu a atenção do mercado hoje foram declarações dos EUA e do Irã em relação ao estreito de Ormuz, por onde passam diariamente cerca de 15 milhões de barris de petróleo por dia. Ontem, o secretário de imprensa do Pentágono, George Little, disse que não serão toleradas tentativas de fechar a passagem pela região. O pronunciamento foi uma resposta a ameaças anteriores do Irã de bloquear o estreito se as potências mundiais insistirem em aplicar sanções ao país alegando que os iranianos estão produzindo uma bomba nuclear. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.