Petróleo fecha em baixa, acima de US$ 68 o barril

Os contratos futuros de petróleo fecharam em baixa na New York Mercantile Exchange (Nymex), mas acima das mínimas intraday, com alguns traders avaliando a queda dos preços como uma oportunidade de compra, disseram traders e analistas. "Eu não espero muita recuperação aqui, mas eu penso que continuaremos a ver algumas compras de barganha", disse Addison Armstrong, da TFS Energy Futures LLC. O declínio desta segunda-feira, que atingiu também os futuros de produtos refinados, ocorreu quando o ministro de petróleo da Arábia Saudita deu garantias que a oferta global de petróleo é suficiente para atender a demanda. Contudo, analistas disseram que essa garantia provavelmente não será suficiente para contrabalançar as persistentes preocupação relacionadas com o programa nuclear do Irã. Traders disseram que durante a noite o petróleo chegou a ficar perto da marca dos US$ 70,00 o barril - nível que não é visto desde final de agosto -, o que pode ter deixado o mercado pronto para uma correção em baixa. Nesta segunda-feira, o Irã - segundo maior exportador da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) - disse que vai continuar com seu programa de enriquecimento de urânio mesmo se O Conselho de Segurança da ONU aprovar sanções contra o país na próxima semana. Observadores do mercado temem que qualquer passo do Irã em direção ao desenvolvimento de tecnologia que permita a construção de armas nucleares possa polarizar ainda mais a tensão no Oriente Médio, maior região produtora de petróleo. Tal reação em cadeia poderá levar a uma escalada dos preços da commodity, argumentam. Na Nigéria, maior produtor africano de petróleo, cerca de 10% de sua oferta foi cortada após ataques contra a infra estrutura de petróleo na região do Delta do rio Níger. Contudo, as companhias que operam na região disseram que não houve nenhuma perda adicional de produção durante o final de semana. Quatro trabalhadores estrangeiros continuam reféns de guerrilheiros nigerianos e mais de doze pessoas morreram desde que começaram os ataques no dia 11. "Considerando a situação política que estamos enfrentando no Irã e na Nigéria, eu penso que os traders vêem os US$ 70,00 o barril como um nível que iremos ver no curto prazo", disse Armstrong. Os contratos de petróleo de primeiro mês de vencimento atingiram o recorde nominal de US$ 70,85 o barril em 30 de agosto de 2005. Na Nymex, os contratos de petróleo para março fecharam em US$ 68,10 o barril, queda de US$ 0,38 (-0,55%); a mínima foi de US$ US$ 67,70 e a máxima de US$ 68,65. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures (ex-International Petroleum Exchange), os contratos de petróleo Brent para março fecharam em US$ 66,16 o barril, queda de US$ 0,27. A mínima foi de US$ 65,63 e a máxima de US$ 67,07.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2006 | 19h43

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.