Petróleo fecha em baixa após fala de embaixador saudita

Os contratos futuros de petróleo caíram de forma acentuada hoje em Londres e Nova York, depois que o embaixador da Arábia Saudita nos EUA disse que os preços da commodity não estão baixos demais na avaliação de seu governo, alimentando especulações de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não vai tentar um corte extra na produção para dar sustentação aos preços. Os preços atuais do petróleo são "adequados para atender as exigências de produção e consumo dos países", disse o embaixador saudita Turki al-Faisal. A Arábia Saudita é o maior produtor de petróleo dentro da Opep. Também pesaram sobre os preços as previsões de aumento nos estoques comerciais norte-americanos de gasolina e petróleo bruto. Os dados semanais do Departamento de Energia, que são atentamente observados pelo mercado, são divulgados às quartas-feiras. "Os comentários sauditas provavelmente reduziram as esperanças de alguns bulls (aqueles que apostam na alta dos preços) de que os sauditas cortariam mais a produção", disse o diretor de pesquisa da IAF Advisors, Kyle Cooper, em Houston. "As expectativas preliminares para os dados sobre os estoques norte-americanos também estão no lado bearish (de baixa dos preços)", acrescentou. De acordo com pesquisa realizada pela Dow Jones, espera-se, na média, um aumento de 1,2 milhão de barris nos estoques de petróleo bruto na semana passada, e um crescimento de 1,6 milhão de barris nos estoques de gasolina. Para os estoques de destilados - que incluem diesel e óleo para aquecimento -, espera-se uma queda de 2,6 milhões de barris. Cooper disse que há uma expectativa geral de aumento nos estoques de petróleo e que os estoques de destilados deverão ser suficientes para durarem até o restante da temporada de inverno, mesmo se as temperaturas mais frias persistirem. No pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para março fecharam a US$ 54,01 por barril, em queda de US$ 1,41, ou 2,54%. A mínima foi de US$ 53,75 e a máxima de US$ 55,96. Em Londres, na ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para março fecharam a US$ 53,68 por barril, em queda de US$ 1,61, ou 2,91%. A mínima foi de US$ 53,56 e a máxima de US$ 55,83. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.