Petróleo fecha em baixa, esperando trégua no Líbano

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Bolsa Internacional de Commodities (ICE, de Londres). O mercado reagiu à intensificação das conclamações internacionais por um cessar-fogo no Líbano. O presidente da França, Jacques Chirac, voltou a defender um cessar-fogo imediato; o presidente dos EUA, George W. Bush, e o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, reuniram-se na Casa Branca e anunciaram a aceleração das conversações para o envio de uma força multinacional de paz ao Líbano, mas não pediram uma trégua, mantendo a política norte-americana de não pressionar Israel a suspender as hostilidades. Os futuros de petróleo abriram em baixa devido à expectativa de que Blair pressionasse Bush a mudar a posição dos EUA e que ambos anunciassem uma iniciativa por um cessar-fogo, mas isso não aconteceu. "As conversas sobre um cessar-fogo ajudaram a pressionar os preços e muita gente vendeu para realizar lucros. O mercado vinha subindo em reação à crise no Oriente Médio e ela prossegue. Acho que os preços poderão voltar a subir na próxima semana", comentou o operador Tony Rosado, da DBC Brokers. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para setembro fecharam a US$ 73,24 por barril, em queda de US$ 1,30; a mínima foi em US$ 72,80 e a máxima em US$ 74,85. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para setembro fecharam a US$ 73,39 por barril, em queda de US$ 1,62, com mínima em US$ 73,16 e máxima em US$ 75,54. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.