Petróleo fecha em baixa, mas demanda permanece forte

Os contratos futuros de petróleo fecharam em leve baixa na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), depois do relatório do Departamento de Energia (DoE) ter apontado um inesperado aumento dos estoques comerciais de gasolina, segundo operadores e analistas. O DoE informou que os estoques de gasolina cresceram em 700 mil barris, para 213,1 milhões de barris na semana passada, com o aumento nas importações mais do que compensando a alta da demanda antes do feriado de 4 de Julho. Analistas entrevistados pela Dow Jones estavam esperando um declínio de 1,4 milhão de barris nos estoques de gasolina. O surpreendente aumento dos estoques provocou uma liquidação nos futuros de gasolina e petróleo bruto, mas os contratos recuperaram as perdas à tarde, com os compradores encorajados pelos dados de forte demanda. A demanda por gasolina subiu 1,1% na semana passada, para uma média de 9,645 milhões de barris/dia, o segundo maior volume já registrado, informou o DoE. Para o período de quatro semanas encerada em 30 de junho, a demanda por gasolina subiu 1,4% para a média de 9,5 milhões de barris/dia, o nível mensal mais elevado já registrado. O aumento dos estoques de gasolina foi uma surpresa, mas "foi abrandada pelos dados de demanda excepcionalmente fortes", disse o presidente da Ritterbush & Associates, Jim Ritterbusch. Os dados de forte demanda sugerem que os preços na bomba - atualmente pouco abaixo de US$ 3,00 o galão, na média nacional - ainda não subiram o suficiente para forçar os motoristas a mudarem seu comportamento, disse Ritterbusch. Enquanto a demanda permanecer forte, "é prematuro dizer que vimos o topo do mercado", acrescentou. Na Nymex, os contratos de gasolina para agosto fecharam a US$ 2,2590 o galão, queda de 168 pontos (0,74%). Os contratos de petróleo para agosto fecharam a US$ 75,14 o barril, queda de US$ 0,05 (0,07%), na Nymex. A mínima foi de US$ 74,30 e a máxima de US$ 75,35. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para agosto fecharam a US$ 74,08 o barril, alta de US$ 0,10. A mínima foi de US$ 73,16 e a máxima de US$ 74,30. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.