Petróleo fecha em forte baixa com aumento de estoques

Os contratos futuros de petróleo recuaram hoje para a nova mínima dos últimos 20 meses, chegando a cair abaixo de US$ 50 o barril durante a sessão. A queda veio depois de o Departamento de Energia dos Estados Unidos ter afirmado que os estoques norte-americanos cresceram 6,8 milhões de barris na semana, para 321,5 milhões de barris, maior crescimento semanal desde 2002, indo muito além das expectativas de aumento de 325 mil barris. ?Houve um enorme crescimento nos estoques de petróleo, o que pressionou os preços para baixo", disse o consultor Jason Schenker, da Wachovia. Para ele, ?o aumento foi parcialmente causado pelo crescimento das importações, o que implica que os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não estão cumprindo os anunciados cortes de produção?. Ele explicou, no entanto, que os preços do petróleo caíram em oito das 12 sessões do ano na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) também por conta das temperaturas amenas registradas no início de janeiro no Hemisfério Norte e das dúvidas sobre se a Opep realmente implantou o corte de produção anunciado. A maior parte dos operadores esperam que os preços caiam para US$ 48 o barril antes que se estabilizem ou voltem a subir. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para fevereiro fecharam a US$ 50,48 por barril, em queda de US$ 1,76, ou 3,37%. A mínima foi em US$ 49,90 e a máxima em US$ 52,69. Na ICE, em Londres, os contratos do petróleo Brent para março fecharam a US$ 51,75 por barril, em queda de US$ 1,03, ou 1,95%, com mínima em US$ 50,91 e máxima em US$ 53,35. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.