Petróleo fecha em queda com estoque nos EUA ainda alto

Os contratos futuros da gasolina fecharam em alta nesta quarta-feira com notícias sobre uma explosão em uma refinaria no Canadá que levantaram preocupações sobre o abastecimento do combustível. No entanto, a alta da gasolina não foi suficiente para impulsionar os contratos futuros do petróleo, que foram pressionados pelo nervosismo em torno da crise da zona do euro e os dados fracos da demanda nos EUA.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

26 de setembro de 2012 | 17h17

Os contratos futuros da gasolina atingiram uma máxima de US$ 3,0874 o galão na New York Mercantile Exchange (Nymex), após a explosão na refinaria Saint John da Irving Oil, que possui capacidade de produção de 300 mil barris por dia, em New Brunswick, no Canadá. A refinaria disse que os danos foram mínimos e as operações seriam retomadas ainda nesta quarta-feira mas o acidente ressaltou a situação incrivelmente tênue da oferta de gasolina em algumas partes dos EUA. Os estoques dos combustíveis no Nordeste do país estão em seu nível mais baixo desde 1990, de acordo com os números mais recentes do Departamento de Energia.

"É um lembrete de que o fornecimento de gasolina está baixo para esta época do ano e de que você tem margens muito pequenas para erro", disse Phil Flynn, analista de energia da Futures Group Price. "Quando a história veio à tona, todo mundo ficou nervoso, e você compra primeiro e faz as perguntas depois", acrescentou.

O contrato da gasolina reformulada blendstock, ou RBOB, para novembro, o mais negociado, encerrou com alta de 1,82%, ou US$ 0,0514, para US$ 2,8738.

Os estoques de petróleo recuaram 14,2 milhões de barris nas últimas nove semanas, se aproximando da mínima em quatro anos nos EUA, apesar da demanda ter recuado. O Departamento de Energia (DoE) dos EUA disse que a demanda de quatro semanas por produtos derivados de petróleo caiu para o menor nível desde 6 de abril.

O diretor de contratos de futuros de energia da Mizuho, Bob Yawger, disse que estava surpreso que os preços do petróleo continuaram a cair apesar da alta da gasolina. Mas com os estoques de petróleo ainda altos nos EUA, os traders não estão tão nervosos sobre o abastecimento, particularmente enquanto a economia mais ampla mostra sinais de enfraquecimento.

O contrato do petróleo para novembro fechou em queda de US$ 1,39, ou 1,5%, para US$ 89,98 o barril, na Nymex. Foi a primeira vez desde o início de agosto que o petróleo fechou abaixo de US$ 90 o barril. O contrato do petróleo Brent para novembro caiu US$ 0,4100, ou 0,41%, e encerrou cotado em 110,04 o barril, na plataforma ICE, em Londres. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mercadopetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.