Petróleo fecha em queda, com menor temor sobre oferta

Os contratos futuros de petróleo negociados em NY fecharam em baixa nesta sexta-feira, devolvendo parte dos ganhos dos últimos três dias e reduzindo as preocupações com a oferta. O fato de o Irã ter reiterado que não vai usar o petróleo como arma em sua disputa nuclear com o Ocidente deu alívio aos preços. A gasolina liderou as perdas, fechando em queda de apenas 57 pontos, a US$ 1,99 o galão. O vice-presidente da corretora Fimat Futures em Nova York, Mike Fitzpatrick, classificou as perdas de hoje como uma correção num mercado com tendência de alta. "Haverá reversões e dias de baixa, mas os preços estão subindo", disse ele. "Quando há consenso em torno de uma conclusão preestabelecida, os mercados invariavelmente vão nessa direção." Outros, no entanto, vêem potencial para mais perdas. "Realização de lucros foi o termo mais empregado para explicar o que ocorreu hoje, mas nós vemos possibilidade de que essa simples perda se torne um declínio muito mais substancial, já que os fundamentos que empurraram os preços para cima não são tão fortes", disse o analista de energia Tim Evans. Em NY, os contratos de petróleo para maio fecharam em US$ 66,63 o barril, queda de US$ 0,52 (0,77%). Em Londres, o petróleo tipo Brent para maio fechou em US$ 65,91 o barril, queda de US$ 0,55. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.