Petróleo fecha em queda, com menor tensão sobre o Irã

Os contratos futuros de petróleo fecharam em acentuada baixa na New York Mercantile Exchange (Nymex), pressionados pela redução da tensão com relação ao programa nuclear do Irã e crescimento acima das expectativas dos estoques comerciais norte-americanos na semana passada, segundo operadores e analistas. O movimento de baixa foi desencadeado pelas notícias de que as potências mundiais haviam retirado uma demanda para que o Irã se comprometa a uma moratória de longo prazo sobre o enriquecimento de urânio, como pré-condição para as negociações. Diplomatas ouvidos pela Associated Press disseram que os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha, apenas pediram ao Irã para que suspenda o enriquecimento durante as negociações sobre o programa nuclear do país. O Irã insiste que tem o direito de enriquecer urânio. Esta grande mudança das potências ocidentais sobre o enriquecimento do Irã foi indiretamente confirmado pelo chefe da política exterior da União Européia, Javier Solana, que formalmente representa as seis nações que ofereceram um pacote de incentivos para o Irã nesta semana. "Eles terão de parar agora, teremos de negociar sem um processo de enriquecimento em andamento", disse. "Depois de finalizadas as negociações, veremos o que irá acontecer", acrescentou. A concessão elevou as probabilidade de que o Irá, eventualmente, aceite um acordo nuclear com as potências mundiais, disseram analistas. O movimento de baixa se acentuou depois que o Departamento de Energia informou que os estoques de petróleo cresceram em 1,1 milhão de barris, para 346,6 milhões de barris na semana passada, impulsionados por um forte volume de importação, enquanto os estoques de gasolina cresceram em 1 milhão de barris, para 210,3 milhões de barris, refletindo uma demanda mais fraca. "Os dados foram um pouco bearish (de baixa) para os preços", disse o vice-presidente da Vantage Trading, Peter Donovan. Na Nymex, os contratos de petróleo para julho fecharam a US$ 70,82 o barril, queda de US$ 1,68 (2,32%). A mínima foi de US$ 70,50 e a máxima de US$ 71,90. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent fecharam a US$ 69,19 o barril, queda de US$ 1,62. A mínima foi de US$ 68,88 e a máxima de US$ 70,99. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

07 de junho de 2006 | 18h27

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.