Petróleo fecha em queda de 0,53% a US$ 89,11 em NY

Os contratos futuros de petróleo recuaram, dando continuidade às perdas de ontem, em meio a preocupações quanto ao nível elevado dos estoques norte-americanos - especialmente em Cushing (Oklahoma), ponto de entrega do petróleo West Texas Intermediate (WTI), que representa a maior parte dos contratos negociados na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês). Os preços do petróleo Brent, explorado no Mar do Norte e consumido principalmente na Europa, subiram.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

21 de janeiro de 2011 | 19h17

Segundo Jim Ritterbusch, da consultoria Ritterbusch & Associates, a redução na taxa de utilização da capacidade das refinarias fez crescer a preocupação com a possibilidade de os estoques em Cushing voltarem a crescer. "Ainda estamos a menos de 1 milhão de barris de um estoque recorde em Cushing. Ainda precisamos retirar mais", disse Ritterbusch.

A nova baixa dos preços do petróleo WTI levou o diferencial entre os contratos negociados na Nymex e os do petróleo Brent, negociados na Intercontinental Exchange (ICE), à máxima de US$ 8,57, o maior em dois anos. Normalmente, a diferença entre os preços dos dois contratos fica próxima dos US$ 2.

"Acho que o mercado está relutando em investir em WTI. Se você quer risco-petróleo, o mercado está aprendendo rapidamente que é melhor colocar seus dólares em Brent ou em produtos refinados", disse o analista Dominick Chirichella, do Energy Management Institute.

Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para março fecharam a US$ 89,11 por barril, em queda de US$ 0,48 (0,53%). Na ICE, os contratos de petróleo Brent para março fecharam a US$ 97,60 por barril, em alta de US$ 1,02 (1,06%). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarrilNymexBrent

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.