Petróleo fecha no maior nível em 18 meses

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em forte alta nesta terça-feira, acima de US$ 109 por barril pela primeira vez desde fevereiro de 2012. Os traders se preocupam com a possibilidade de um potencial ataque militar à Síria interromper o fornecimento de petróleo na região.

Agencia Estado

27 de agosto de 2013 | 17h05

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para outubro, subiu US$ 3,09 (2,91%) e fechou a US$ 109,01 o barril, o maior nível em 18 meses. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent avançou 3,2%, terminando a sessão a US$ 114,28, o maior nível em seis meses.

Segundo o Financial Times, os governos dos Estados Unidos, Reino Unido e França avançam no planejamento para realizar um ataque de 48 horas contra a Síria. Os alvos seriam instalações militares e o ataque deve acontecer no final de semana.

Nesta terça-feira, 27, o governo do presidente Bashar Assad prometeu usar "todos os meios" para conter um ataque ao país, mas cresce o número de países que se mostram favoráveis a uma ação militar contra a Síria, principalmente se ficar provado que a morte de centenas de civis nas proximidades de Damasco foi provocada por armas químicas.

Alan Herbst, analista do Utilis Advisory Group, disse que os traders estão preocupados com a possibilidade de qualquer ação militar contra a Síria contagiar países com produções mais significativas de petróleo na região, como o Iraque - o segundo maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.