Petróleo fecha no menor nível desde maio

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em queda nesta segunda-feira, 18, no menor nível desde 31 de maio. As expectativas de que o Federal Reserve deve em breve reduzir seu programa de compras de bônus, as fortes exportações de petróleo da Arábia Saudita e as próximas negociações entre o Irã e potências mundiais contribuíram para pressionar os preços.

STEFÂNIA AKEL, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES, Agencia Estado

18 de novembro de 2013 | 18h56

O contrato de petróleo para dezembro fechou em baixa de US$ 0,81 (0,86%), a US$ 93,03 por barril na Nymex. O petróleo do tipo brent para janeiro encerrou com perda de US$ 0,03 (0,03%), a US$ 108,16.

O presidente do Fed de Nova York, William Dudley, se mostrou mais otimista com a economia dos Estados Unidos, mas se recusou a comentar como isso pode impactar a tendência de redução dos estímulos à economia. O presidente do Fed da Filadélfia, Charles Plosser - que não vota este ano no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), mas votará em 2014 -, também mostrou otimismo com a economia e defendeu uma redução de estímulos na reunião de dezembro.

Outro fator de pressão foram os números de exportação da commodity pela Arábia Saudita. Em setembro, o país exportou 7,84 milhões de barris por dia, a maior taxa dos últimos oito anos, segundo dados da Joint Organisations Data Initiative.

Os investidores agora aguardam a retomada dos diálogos com o Irã. A Capital Economics calcula que um eventual acordo com Teerã pode elevar a oferta em pelo menos 1 milhão de barris por dia em 2014, o que provavelmente levaria o preço do petróleo a cair até US$ 10 por barril.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.