Petróleo fecha no menor nível em 5 meses

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam nesta terça-feira, 12, no menor nível em cerca de cinco meses, em meio ao temor com a crescente oferta, produção maior e com a possibilidade de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) reduzir estímulos à economia ainda em 2013. O programa de compra de bônus do Fed ajudava os preços da commodity.

STEFÂNIA AKEL, Agencia Estado

12 de novembro de 2013 | 18h52

O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para dezembro, caiu US$ 2,10 (2,20%), fechando a US$ 93,04 o barril, menor nível desde 31 de maio. Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para dezembro recuou US$ 0,59 (0,56%), para US$ 105,81. As vendas dos contratos de petróleo se aceleraram durante a tarde, com o mercado seguindo a baixa das ações.

"Traders de muitos ativos estão colocando as expectativas com o Fed nos preços", disse Jonathan Citrin, do CitrinGroup. Em relatório sobre a perspectiva mundial de energia divulgado nesta terça-feira, a Agência Internacional de Energia (AIE) previu que a demanda global por petróleo crescerá 14 milhões de barris por dia até 2035. Além disso, a entidade avaliou que a forte expansão da produção de óleo e gás de xisto na América do Norte não ameaça a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Já a própria Opep elevou, ligeiramente, a projeção para a demanda mundial por petróleo neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.