Petróleo fecha no nível mais baixo desde 16 de fevereiro

Os contratos futuros de petróleo fecharam em queda forte na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) e na Bolsa Intercontinental (ICE, de Londres). Na Nymex, o nível de fechamento dos contratos para o mês seguinte é o mais baixo desde 16 de fevereiro. Operadores disseram que o mercado está convencido de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não fará uma redução significativa em sua produção. "A pergunta que está sendo feita é qual é o patamar de preço que a Opep pretende defender, e acho que há argumentos fortes em favor da idéia de que será um preço bastante inferior ao atual", comentou o analista Bill O'Grady, da AG Edwards. O mercado ignorou os informes de que alguns países da Opep, especialmente Nigéria e Venezuela, estão reduzindo sua produção para conter a queda dos preços e está à espera de um posicionamento da Arábia Saudita, o maior exportador mundial e o mais influente integrante do cartel. "Seriam necessárias declarações fortes dos sauditas para que o mercado passasse a se preocupar com a oferta", disse Aaron Kildow, da Prudential Financial. Segundo ele, outro fator para a queda dos preços do petróleo é a previsão de que não deverão acontecer furacões fortes no Atlântico nesta temporada, que vai até novembro, o que implica menos riscos para a região produtora do Golfo do México. "A atividade de ciclones tropicais na bacia do Atlântico na temporada de 2006 será consideravelmente menor do que se previa anteriormente, em grande parte por causa das inesperadas condições de El Niño que se desenvolveram no fim deste verão", diz um informe do respeitado Departamento de Ciência Atmosférica da Universidade Estadual do Colorado (disponível em http://hurricane.atmos.colostate.edu/forecasts/). Além disso, o Departamento de Energia dos EUA havia anunciado ontem que vai esperar até o fim do inverno (no hemisfério Norte) para começar a recompor suas reservas estratégicas, reduzidas durante a temporada de furacões de 2005. Na Nymex, os contratos de petróleo bruto para novembro fecharam a US$ 58,68 por barril, em queda de US$ 2,35, ou 3,85%; a mínima foi em US$ 58,49 e a máxima em US$ 61,15. Na ICE, os contratos do petróleo Brent para novembro fecharam a US$ 58,43 por barril, em queda de US$ 2,02, ou 3,34%, com mínima em US$ 58,29 e máxima em US$ 60,58. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.