Petróleo ignora dados dos EUA e avança em sessão fraca

Preço do contrato do petróleo para fevereiro negociado na Nymex fechou em alta de 0,54%, a US$ 91,49 por barril

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

28 de dezembro de 2010 | 19h06

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em alta, ignorando a divulgação de indicadores mais fracos que o previsto sobre a economia dos EUA ao longo do dia. "O rali ainda está ocorrendo. Acho que, por termos deixado em segundo plano os relatórios sobre as moradias e a confiança do consumidor, há indícios de que a expectativa está conduzindo o mercado", disse Gene McGillian, operador da Tradition Energy.

Os preços das residências nas 20 maiores áreas metropolitanas dos EUA caíram 0,8% em outubro na comparação com igual período do ano passado, segundo a pesquisa S&P/Case-Shiller. O recuo foi levemente superior à previsão dos analistas, que esperavam queda de 0,6%. Além disso, o índice de confiança do consumidor norte-americano medido pelo instituto Conference Board caiu para 52,5 em dezembro, ante uma leitura revisada de 54,3 em novembro. Analistas consultados pela Dow Jones esperavam que o indicador subisse para 57,0.

O preço do contrato do petróleo para fevereiro negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) fechou em alta de US$ 0,49, ou 0,54%, a US$ 91,49 por barril. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para fevereiro subiu US$ 0,53, ou 0,56%, para US$ 94,38 por barril.

Os participantes do mercado acreditam que a economia mundial e a demanda global por petróleo estão percorrendo um caminho de recuperação. Na segunda-feira, a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC, em inglês) divulgou que os gerentes de fundos, incluindo os fundos de hedge, aumentaram o volume líquido de posições compradas em contratos de petróleo da Nymex recentemente, sinalizando uma aposta de aumento nos preços da commodity.

"Temos um mercado com tendência de alta nas nossas mãos. Eu achava que ele fosse recuar antes do encerramento do ano, mas parece que isso não acontecerá", disse Mark Waggoner, presidente da Excel Futures.

O volume de negócios nesta terça-feira ficou no menor nível em quase dois anos, em parte por causa das nevascas que atingiram o nordeste dos EUA recentemente e dificultaram o acesso dos operadores à Nymex. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarril

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.