Petróleo mostra recuperação e opera em alta

O petróleo opera em alta nos EUA e na Europa, em recuperação após a queda de terça-feira, 12, mas o diferencial de preços entre os dois principais contratos se ampliou. Os protestos cada vez mais violentos na Líbia estão por trás do avanço mais forte do brent.

Agencia Estado

13 de novembro de 2013 | 10h46

Enquanto isso, o contrato da Nymex é mais afetado pelas expectativas de uma redução dos estímulos econômicos do Federal Reserve. Outro fator que limita o avanço do petróleo da Nymex é o fato de os EUA - que não exporta petróleo produto - estarem bem abastecidos, em especial por causa da produção a partir de óleo de xisto.

"O governo está tendo dificuldades para controlar uma coisa que começou como uma simples disputa trabalhista", comentou Andrey Kryuchenkov, analista do VTB Capital, sobre a situação na Líbia. A diferença entre o preço do brent e o preço do contrato da Nymex está no nível mais alto desde o começo de abril, em cerca de US$ 13 por barril.

As margens de lucro das refinarias estão sob pressão diante da alta do brent. "O brent está ampliando o prêmio em relação ao WTI, mas no processo de refino as margens de lucro estão caindo", afirmou Olivier Jakob, analista da Petromartix.

Às 9h47 (de Brasília), o brent para dezembro subia 1,32% na ICE, para US$ 107,21 por barril, e o contrato para dezembro negociado na Nymex avançava 0,15%, para US$ 93,18 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.