Petróleo opera com preços perto da estabilidade

Os futuros de petróleo operam perto da estabilidade, estagnados por fatores conflitantes de alta e baixa. Segundo pesquisadores da Macquarie, catalisadores que tendem a pressionar ou impulsionar o petróleo vêm mantendo os preços da commodity dentro de uma faixa estreita desde o início do ano, mas pode haver problemas na oferta mais adiante. "Os riscos principais incluem possíveis declínios de grande produtores, em particular Nigéria e Argélia", comentou a Macquarie em nota a clientes.

Agencia Estado

23 de maio de 2014 | 08h19

Enquanto isso, a primeira carga de petróleo curdo foi vendida e começou a ser embarcada no porto turco de Ceyhan, segundo a JBC Energy. "A carga de 1 milhão de barris representa a primeira venda de petróleo curdo a partir de Ceyhan feita de forma independente de Bagdá", comentou a JBC.

Nos últimos dias, tensões na Ucrânia e na Líbia têm ajudado a sustentar os futuros. No domingo, 25, a Ucrânia vai realizar sua eleição presidencial e há temores de que haja provocações em redutos separatistas no leste do país. Já na Líbia, os últimos episódios de violência ameaçam a volta do país ao mercado internacional.

Às 7h27 (de Brasília), o brent para julho tinha ligeira queda de 0,02%, a US$ 110,34 por barril, na plataforma eletrônica ICE, em Londres, enquanto na Nymex, o petróleo para o mesmo mês subia 0,04%, a US$ 103,78 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoNigériaArgélia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.