Petróleo opera em alta com violência crescente na Líbia

Os futuros de petróleo operam em alta, após um fim de semana violento na Líbia, que vem tentando aumentar suas exportações da commodity.

Agencia Estado

19 de maio de 2014 | 07h53

Ontem, militantes anti-islâmicos atacaram o Parlamento líbio e tomaram 20 legisladores como reféns. "As esperanças de que haja uma grande salto nos volumes de produção da Líbia foram eliminadas", comentou a corretora PVM em nota a clientes.

Nas últimas semanas, a Líbia vinha gradualmente reativando seus campos de produção de petróleo e reabrindo terminais de exportação após um acordo fechado com grupos dissidentes.

Além da perspectiva de demora no aumento da oferta da Líbia, o petróleo é sustentado também por possíveis greves no setor petrolífero da Noruega e pelo fechamento do campo de Foinaven, da BP, para manutenção, segundo o Morgan Stanley.

Na máxima da sessão, o brent para julho chegou a ser negociado a US$ 110,33 por barril, seu maior valor desde 3 de março. Às 7h02 (de Brasília), o brent avançava 0,31%, a US$ 110,09 por barril, na plataforma eletrônica ICE, enquanto o petróleo para junho negociado na Nymex subia 0,63%, a US$ 102,66 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.