Petróleo opera em baixa com brent perto da máxima

O petróleo opera em baixa nesta quinta-feira, 28, mas a diferença de preço (spread) entre os futuros continua bem ampla, com o brent ainda próximo da máxima em sete semanas e o contrato negociado na Nymex em seu menor nível desde junho. Em meio ao feriado de Ação de Graças nos EUA, os analistas preveem uma sessão com pouca liquidez.

Agencia Estado

28 de novembro de 2013 | 09h41

Segundo Andrey Kryuchenkov, analista da VTB Capital, o brent está sujeito a uma "pequena correção" porque não há fundamentos suficientes que justifiquem os preços atuais.

Nas últimas semanas, o brent tem sido sustentado principalmente por incertezas na oferta da Líbia em meio a manifestações de petroleiros em campos de petróleo e terminais de exportação do país. Apesar da questão líbia ainda favorecer o brent, Kruchenkov diz que o nível de resistência do contrato é US$ 112 por barril. Às 9h11 (pelo horário de Brasília), o brent para janeiro caía 0,32%, a US$ 110,95 por barril, na plataforma eletrônica ICE, em Londres.

Em Nova York, o petróleo vem sendo pressionado pela alta nos estoques dos EUA, que na semana passada subiram pela décima vez consecutiva. Segundo o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano, a produção de petróleo bruto dos EUA na semana até 22 de novembro ultrapassou o nível de 8 milhões de barris por dia pela primeira vez desde 1989.

"Os estoques parecem estar se aproximando dos níveis recordes de maio, apesar do aumento na taxa de utilização," comentou a JBC Energy Markets em nota a clientes. No horário acima, o petróleo para janeiro negociado na Nymex recuava 0,22%, a US$ 92,10 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobrent

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.