Petróleo opera em baixa com demanda fraca

Preço do brent continua bem abaixo da alta de quase US$ 119,00 por barril atingida em fevereiro

15 de maio de 2013 | 08h29

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa nesta quarta-feira, 15, com a continuidade da demanda fraca na Europa e China e aumento nos estoques da commodity.

Às 8h19 (de Brasília), o brent para junho recuava 0,36% na ICE, para US$ 102,23 por barril, enquanto o petróleo equivalente negociado na Nymex tinha uma queda significativa de 1,19%, para US$ 93,10 por barril.

O preço do brent continua bem abaixo da alta de quase US$ 119,00 por barril atingida em fevereiro, o que "sugere que no cabo de guerra entre fundamentos globais e o sentimento negativo criado pelos fracos mercados europeus e receios de mais desaceleração na China, o segundo está prevalecendo", comentaram analistas do Goldman Sachs em nota a clientes.

Para os analistas, a tendência do brent é manter a trajetória de queda enquanto não se sabe se o recuo é sazonal ou vai se aprofundar. A corretora PVM concorda com o Goldman. "A linguagem corporal do brent sugere no momento um contrato preparado para voltar ao território abaixo de US$ 100,00 por barril."

Os estoques de petróleo bruto dos EUA estão próximos de níveis recordes e a Agência Internacional de Energia (AIE) disse ontem que a produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) teve expansão de 200 mil barris por dia em abril, para 30,3 milhões de barris por dia.

"Os dias em que se previa o petróleo subindo para US$ 200,00 o barril ficaram para trás", disse a Petromatrix, lembrando que a produção maior da Opep e a valorização do dólar pressionam o brent, que tem tido pouco suporte até mesmo das sanções que mantêm o petróleo do Irã fora da equação.

A Petromatrix também minimizou a notícia de que a União Europeia está investigando várias companhias petrolíferas na região e Noruega que teriam feito um conluio para distorcer preços no setor.

Nesta quarta-feira, 15, o mercado ficará atento também aos últimos números dos estoques de petróleo dos EUA, que serão divulgados às 11h30 (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleodemanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.