Petróleo opera em baixa, com investidor mirando Fomc

Os contratos futuros do petróleo operam em baixa nesta terça-feira, 19, em linha com outras commodities, com investidores focados nas negociações do Irã e à espera da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto do Federal Reserve (Fomc, em inglês), que pode dar sinais sobre o futuro dos estímulos econômicos nos Estados Unidos.

EDGAR MACIEL, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agencia Estado

19 de novembro de 2013 | 10h09

Nas últimas três sessões, o petróleo Brent tem sido negociado em um intervalo limitado, próximo a US$ 108 o barril. Na segunda-feira, 18, o contrato fechou em queda, a US$ 108,16 o barril. O petróleo negociado em Londres ainda é pressionado pelas interrupções no fornecimento da Líbia, que já dura mais de um mês. A região de Sharara, por exemplo, viu suas exportações caírem 80% em função dos bloqueios nas estradas pelos manifestantes.

Por outro lado, os níveis de exportação da Arábia Saudita têm compensado os problemas da Líbia. Segundo a Joint Organisations Data Initiative, o país está com seu mais alto nível de vendas ao exterior dos últimos oito anos.

Na quarta-feira, 20, os investidores estarão atentos à retomada das negociações entre as potências mundiais e o Irã, que em caso de um acordo poderia levar o país do Oriente Médio novamente ao mercado de petróleo.

Segundo a consultoria PVM, o preço do Brent teria condições de operar abaixo de US$ 100 por barril se o Irã voltasse a exportar a commodity. Entretanto, a consultoria sinaliza que qualquer alívio nos preços teria uma duração de curto prazo.

"Tal sequência de eventos não levaria a nenhuma oferta adicional no futuro, pois pode aumentar os temores de que Israel se sentirá menos constrangido de agir unilateralmente, além de perturbar a Arábia Saudita", explicou a PVM por meio de uma nota. Os analistas do Commerzbank acreditam na possibilidade de que um milhão de barris por dia volte ao mercado, em caso de um acordo do Irã sobre o programa nuclear.

Nos Estados Unidos, os preços estão recuando ainda mais e operando abaixo de US$ 93. O mercado estende as perdas pela terceira sessão consecutiva e mantém a tendência de queda que começou em outubro. "O sentimento dos investidores foi atenuado pela especulação de que o Fed poderia começar a reduzir seus programa de compra de bônus mais cedo do que o previsto", diz Kash Kamal, analista da Sucden.

As atenções dos investidores estão voltadas para a quarta-feira, quando o Fomc divulgará a ata da uma última reunião do comitê, que pode dar mais sinais ao mercado sobre os estímulos à economia. Hoje, o discurso do atual presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, também pode influenciar os preços da commodity.

Às 19h30, o American Petroleum Institute (API) divulga os estoques de petróleo para a semana encerrada no dia 15 de novembro, que deve fornecer uma nova orientação sobre o equilíbrio de oferta e demanda de petróleo no país.

Por volta das 09h55 (pelo horário de Brasília), o Brent para janeiro recuava 0,07%, a US$ 108,39 por barril, na plataforma eletrônica ICE, em Londres. Na Nymex, o contrato de petróleo para dezembro tinha queda de 0,20%, a US$ 92,83 por barril.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoFomc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.