Petróleo opera em baixa, de olho na Ucrânia

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa, com os investidores acompanhando o desenrolar da crise na Ucrânia e aguardando os últimos números sobre estoques dos EUA e a conclusão da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

SERGIO CALDAS, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Agencia Estado

19 de março de 2014 | 09h25

As tensões entre Ucrânia e Rússia continuam influenciando o petróleo, mas outros fatores de peso também devem direcionar os negócios com a commodity na sessão desta quarta-feira, 19.

No final da manhã, às 11h30 (de Brasília), o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos EUA divulga a atualização dos estoques do país. Analistas estimam que os estoques de petróleo bruto avançaram 2,3 milhões de barris na semana passada. O relatório do American Petroleum Institute (API), publicado na terça-feira, 18, indicou alta de 5,9 milhões de barris nos estoques dos EUA na semana até 14 de março.

Além disso, o Fed anuncia sua decisão de política monetária, às 15h (de Brasília). Para a maioria dos analistas, o BC norte-americano vai reduzir suas compras mensais de bônus em mais US$ 10 bilhões, como fez em dezembro e janeiro. Nos últimos anos, a política de estímulos do Fed ajudou a sustentar os preços de commodities como o petróleo e metais.

Às 9h15 (de Brasília), o brent para maio caía 0,74% na plataforma eletrônica ICE, a US$ 106,00 por barril, enquanto na Nymex, o petróleo para abril recuava 0,07%, a US$ 99,63 por barril.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.