Petróleo opera perto da estabilidade

Os contratos futuros de petróleo operam perto na estabilidade na manhã desta quinta-feira, 13, após aumento dos estoques da commodity nos Estados Unidos e preocupações sobre uma possível desaceleração da economia da China.

Agencia Estado

13 de março de 2014 | 07h32

O Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) informou, na quarta-feira, 12, que os estoques de petróleo bruto subiram 6,18 milhões de barris na semana encerrada em 7 de março, uma alta bem acima do que analistas haviam previsto. Diante deste dado, cresce o temor por parte dos investidores de que a demanda doméstica pela commodity, que sustentou ganhos nos últimos tempos, esteja se retraindo.

Nesta madrugada, dados de vendas no varejo, investimentos em ativos fixos não rurais e produção industrial da China tiveram expansão abaixo do esperado nos dois primeiros meses do ano, elevando os temores sobre uma desaceleração econômica. No fim de semana, foi divulgado uma forte queda nas exportações do país em fevereiro e um surpreendente déficit comercial.

Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) disse na quarta-feira que sua produção em fevereiro ultrapassou 30 milhões de barris por dia, pela primeira vez desde agosto.

A potencial falta de apetite por petróleo bruto na China, entretanto, está mantendo os preços contidos em ambos os lados do Atlântico. Isso poderia levar a uma onda de vendas de posições compradas, sugeriu Ole Hansen, da Saxo Bank.

Às 7h17 (de Brasília), o contrato para abril subia 0,13% na Nymex, a US$ 98,13 por barril, após uma forte baixa ontem. Na ICE, o brent para abril subia 0,03%, a US$ 108,05 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoEUAestoques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.