Petróleo opera próximo do maior nivel em 4 meses

Os futuros de petróleo operam sem direção única nesta manhã. Enquanto o contrato negociado na Nymex mantém os ganhos da sessão anterior e avança para as máximas em quatro meses, o brent recuava levemente, mas continua próximo de seu maior nível em 2014, sustentado pelas tensões na Líbia.

Agencia Estado

19 de fevereiro de 2014 | 10h48

A produção da Líbia "foi de apenas 375 mil barris na terça-feira, de acordo com a National Oil Corp e um dos grupos de milícias do país ameaçou retirar o Parlamento do poder", disse Tamas Varga, analista da corretora de petróleo PVM, em nota a clientes.

Em Nova York, o petróleo se mantém em alta diante das previsões de que a onda de frio nos EUA continuará na próxima semana, o que impulsionou a demanda por óleo para aquecimento.

Também houve indicações de reduções maiores do que o esperado nos estoques do petróleo norte-americanos no posto de entrega em Cushing, em Oklahoma.

O tumulto recente na Venezuela também ajudou a sustentar os preços globais do petróleo. Os confrontos entre militantes de facções opostas causaram a morte de três pessoas em Caracas na semana passada.

Já as negociações sobre o programa nuclear do Irã foram retomadas. Se a conclusão das conversas levar a um relaxamento das sanções impostas ao país, seu petróleo poderá ter um impacto significativo sobre o mercado mundial da commodity mais uma vez.

Às 10h38 (de Brasília), o brent para abril caía 0,03% na ICE, para US$ 110,44 por barril, enquanto o contrato para março negociado na Nymex subia 0,58%, para US$ 103,01 por barril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.