Petróleo perde 1,42%, com enfraquecimento da tempestade Ernesto

Os contratos futuros de petróleo são negociados em baixa acentuada, refletindo o alívio dos investidores com o enfraquecimento da tempestade tropical Ernesto. Temia-se que a tempestade pudesse impor o mesmo nível de dano que o furacão Katrina provocou às plataformas e refinarias do Golfo do México no ano passado. A tempestade tropical Ernesto perdeu força após passar pelo Haiti no fim de semana, de acordo com informações de um boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), com sede em Miami. A tempestade trazia ventos de 80,46 quilômetros por hora, na comparação com os ventos de 273,58 quilômetros por hora provocados pelo Katrina há um ano. O NHC previu, no entanto, o Ernesto pode ganhar força e velocidade quando passar pelo sul de Cuba, em direção ao Golfo do México. A tempestade deve atingir o Golfo dos EUA no final da semana, mas o ponto de sua entrada em terra era indefinido. Às 8h27 (de Brasília), o contrato futuro de petróleo para outubro cedia 1,42%, para US$ 71,09 por barril, na Nymex eletrônica. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

28 de agosto de 2006 | 08h31

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.