Petróleo puxa Bolsas da Europa que fecham com ganho

As bolsas européias fecharam em alta, após um pregão volátil. O bom desempenho das companhias de petróleo, matérias-primas e da fabricante de equipamentos de telecomunicações Alcatel-Lucent mais que compensou o recuo das ações dos setores de bancos e aviação. Os mercados europeus seguem perto das máximas em seis anos, apoiados pela atividade de fusões e aquisições. Muitos analistas acreditam que os papéis europeus manterão esta tendência ao longo de 2007. Londres Em Londres, o índice FTSE 100 subiu 0,3% para 6.401,50 pontos. Frankfurt Em Frankfurt, o DAX Xetra 30 avançou 0,3%, em 6.992,58 pontos. Paris Em Paris, o CAC-40, teve expansão de 0,2% para 5.716,38 pontos. As ações das petroleiras BP e Royal Dutch Shell subiram, respectivamente, 2,7% e 1%. As mineradores também acompanharam o impulso do petróleo. Os papéis da Rio Tinto tiveram avanço de 1,5% e os da BHP Billiton +1,3%. No entanto, a alta do petróleo pressionou as ações de empresas como Air France e Lufthansa O setor de tecnologia se favoreceu dos ganhos de 2,6% da Alcatel-Lucent e de 3% da fabricante franco-italiana de chips STMicroelectronics. As ações da Alcatel-Lucent avançaram depois que um tribunal federal de San Diego determinou, ontem, que a Microsoft pague US$ 1,52 bilhão por violar duas patentes da Alcatel-Lucent. O quinto maior banco britânico Lloyds TSB alertou que os encargos para créditos duvidosos ainda não atingiram o teto. As ações do banco caíram 3,4% com o anúncio de que suas perdas para ajustes aos créditos podres subiram 20% para 1,56 bilhão de libras (US$ 3,1 bilhões). Lisboa Em Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 0,9% em 12.067,26 pontos, com realização de lucros antes do fim de semana. Portugal Telecom caiu 0,3%, Sonae SGPS recuou 7% e Sonaecom caiu 3,5%, depois que o fundo de investimentos norte-americano Brandes Investments Partners disse que não quer vender sua participação de 7,36% na PT para a Sonaecom pelos 10,5 euros por ação oferecidos pela última. Madrid Em Madrid, o IBEX-35 terminou com recuo de 0,2%, em 14.767,1 pontos, com baixas modestas dos bancos Santander e BBVA. Iberia perdeu 2,1% ante o aumento do preço do petróleo. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.