Petróleo recua com alerta da Opep de que mercado está superabastecido

Ali Naimi, da Arábia Saudita, afirmou que cortou a produção saudita em 800 mil barris ao dia em março, por conta do abastecimento excessivo

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

18 de abril de 2011 | 08h49

Os contratos futuros do petróleo cedem com declarações de membros da Opep de que o mercado está superabastecido uma vez que tem sido baixa a demanda por oferta excedente. A elevação do compulsório bancário pela China também trouxe temores de erosão da demanda por petróleo. A quarta elevação da parcela de recursos que os bancos devem manter no banco central da China segue-se à divulgação na sexta-feira de que o índice de preços ao consumidor subiu mais do que o esperado em março, em 5,4%. Foi a maior aceleração desde julho de 2008.

O ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali Naimi, afirmou que cortou a produção saudita em 800 mil barris ao dia em março, por conta do abastecimento excessivo do mercado, segundo publicou a agência Kuwait News ontem. Dessa forma, a produção saudita de petróleo caiu para 8.292 milhões de barris ao dia em março, de 9.125 milhões de barris ao dia em fevereiro, disse Naimi.

O maior produtor da Opep elevou sua produção em fevereiro para compensar a perda dos 1,3 milhão de barris de petróleo exportados pela Líbia após a crise política no país, mas a demanda pelo excedente foi muito baixa.

No começo do dia, o secretário-geral da Opep, Abdalla Salem El Badri, disse que o mercado está bem abastecido, acrescentando não haver necessidade de aumento da produção porque ninguém está comprando o excedente. "A melhor coisa a se fazer (para reduzir os preços do petróleo) é evitar a especulação e também os impostos", disse El Badri em entrevista durante um encontro de autoridades de energia no Kuwait.

Segundo o analista de petróleo do Credit Agricole, Christophe Barret, os comentários somam-se aos temores do mercado de que o preço elevado da commodity prejudica a demanda.

Às 8h51 (de Brasília), o contrato do petróleo WTI negociado na Nymex eletrônica caía 1,22% para US$ 108,32 o barril; o contrato do brent negociado na plataforma ICE recuava 1% para US$ 122,22 o barril. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.