Petróleo recua com baixa demanda de refinarias europeias

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa nesta segunda-feira, 20, embora participantes do mercado apostem que os preços podem se recuperar à medida que as refinarias europeias saírem do período de manutenção e aumentarem a demanda pela commodity.

Agencia Estado

20 de maio de 2013 | 08h01

Às 7h52 (pelo horário de Brasília), o brent mais negociado na ICE, com entrega para julho, caía 0,45%, para US$ 104,17 por barril, enquanto o contrato mais líquido na Nymex, o de junho, recuava 0,50%, para US$ 95,54 por barril.

"Nossa perspectiva é de que, com o fim da manutenção nas refinarias, a demanda pelo petróleo tenha uma alta muito forte", comentou Gareth Lewis-Davies, analista do BNP Paribas em Londres.

Já o Morgan Stanley, em nota publicada nesta segunda-feira, 20, disse que recomendaria a compra do brent se o contrato recuasse para US$ 100,00 por barril. "Embora ainda haja riscos de baixa no curto prazo, é improvável que a venda do brent no segundo trimestre deste ano se iguale à do segundo trimestre de 2012", disse o banco.

Como é feriado público em alguns países da Europa, quase não há indicadores econômicos previstos para o dia e o petróleo é mais influenciado por fatores técnicos do que por questões de oferta e demanda. Para Tamas Varga, analista de petróleo da PVM, o mercado deverá ter um rali se o brent fechar acima de US$ 105,40, o pico atingido no começo de maio.

Na semana, o destaque será na quarta-feira, 22, quando os investidores acompanharão o depoimento do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, no Congresso, sobre a perspectiva econômica dos EUA, o maior consumidor mundial de petróleo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoEuropademanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.