Petróleo reduz queda com notícias sobre a Opep

Os contratos futuros de petróleo reduziram as perdas e chegaram a subir brevemente acima de US$ 55,00 por barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), em meio a evidências de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) está reduzindo sua produção e com os operadores avaliando os últimos dados sobre os níveis dos estoques comerciais nos EUA. Os contratos de petróleo para março chegaram a oscilar abaixo de US$ 54,00 por barril depois que o Departamento de Energia (DoE) reportou um aumento bem acima das expectativas nos estoques de gasolina e um surpreendente crescimento nos estoques de destilados - que inclui diesel e óleo para aquecimento. O DoE também reportou uma queda na taxa de utilização das refinarias na semana passada e um aumento abaixo do esperado nos estoques de petróleo bruto. Contudo, a ConocoPhillips disse que recebeu firmes instruções para restringir a produção em suas operações na Venezuela e Líbia, por causa dos cortes na oferta determinados pela Opep. "Os dados do DoE não foram totalmente bearish (de baixa para os preços), a queda na taxa de utilização das refinarias significa que provavelmente teremos uma queda nos (estoques de) produtos" nas próximas semanas, disse o analista Phil Flynn, da Alaron Trading Corp, em Chicago. "A história da ConocoPhillips é outro sinal de que a Opep está começando a" se sujeitar mais ao acordo de corte na oferta anunciado no ano passado, acrescentou. Às 16h36 (de Brasília), no pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para março estavam a US$ 54,80 por barril, em queda de US$ 0,24, ou 0,44%, de uma mínima no dia de US$ 53,70 e uma máxima de US$ 55,25. No mesmo horário em Londres, na ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para março estavam a US$ 54,95 por barril, em queda de US$ 0,15, ou 0,27%, de uma mínima no dia de US$ 53,88 e uma máxima de US$ 55,40. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.