Petróleo registra forte alta após fala da AIEA

Os contratos futuros de petróleo operam em alta, dando fim a três dias de perdas, depois de a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmar que o Irã continua expandindo sua capacidade de enriquecimento de urânio e pedir urgência no diálogo com o país islâmico. Os preços já estavam subindo mais cedo, em meio ao otimismo geral nos mercados financeiros, mas ganharam força após os comentários da AIEA.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

29 de novembro de 2012 | 10h02

"Existe uma oportunidade de resolver a questão nuclear do Irã diplomaticamente", afirmou Yukiya Amano, diretor da AIEA, à agência France Presse. "Agora é o momento de todos nós trabalharmos com um sentido de urgência e agarrar a oportunidade de uma solução diplomática", acrescentou.

Mais cedo o impulso para o petróleo veio dos comentários feitos na quarta-feira (28) pelo presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, o republicano John Boehner, e pelo presidente do país, Barack Obama. Ambos sinalizaram que um acordo para reduzir o déficit orçamentário norte-americano pode ser alcançado.

A perspectiva de fracasso nas negociações para evitar o chamado abismo fiscal nos EUA vinha pesando sobre os mercados nos últimos dias, já que isso poderia levar a economia norte-americana de volta à recessão e provocaria queda na demanda do país que mais consome petróleo do mundo.

No noticiário sobre a oferta de petróleo, a principal refinaria da Líbia foi fechada por causa de protestos na região e o potencial de mais turbulência no Oriente Médio continua fornecendo um piso para os preços da commodity, especialmente o brent.

Às 9h26 (de Brasília), o petróleo para janeiro subia 1,13%, para US$ 87,47 por barril na Nymex, e o brent para janeiro avançava 1,05%, a US$ 110,66 por barril na ICE. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoAIEAIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.