Petróleo registra leve baixa, após relatório da AIE

Os preços do petróleo nos contratos futuros negociados hoje em Londres e Nova York estão em leve baixa, sem encontrar nas projeções divulgadas hoje pela Agência Internacional de Energia (AIE) subsídios suficientes para inverter a forte queda de ontem. Aparentemente, o anúncio ontem de perspectiva de moderação nas temperaturas nos EUA e o sinal de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não tem planos de novos cortes na produção continuam fazendo efeito. Ontem, o petróleo para março caiu mais de 3%. Às 10h21 (de Brasília), o petróleo caía 0,36%, para US$ 57,60 o barril no pregão eletrônico da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). Mais cedo, o contrato chegou a US$ 58,05 o barril, na máxima do dia até este horário. Na plataforma ICE, de Londres, o contrato de mesmo vencimento registrava baixa de 0,28%, a US$ 56,44 o barril. A AIE revisou em alta sua projeção para a demanda em 2007 e estima agora que haverá um aumento de 1,55 milhão de barris ao dia na demanda global por petróleo, bem acima da elevação de demanda registrada em 2006, de 800 mil barris. Segundo a agência de energia da OCDE, a China e países do Oriente Médio serão responsáveis pela puxada na demanda. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.