Petróleo registra valorização pela sexta vez consecutiva

Os contratos futuros de petróleo reverteram as perdas iniciais e fecharam em alta marginal na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), estendendo a seqüência de fechamentos positivos pela sexta sessão consecutiva, com os preços recebendo suporte das preocupações relacionadas com o equilíbrio entre oferta e demanda, segundo analistas. Os ligeiros ganhos de hoje ocorreram em meio às preocupações sobre a tensão internacional envolvendo o Irã e às previsões de um declínio nos estoques comerciais de combustíveis derivados de petróleo nos EUA, cujos dados semanais do Departamento de Energia (DoE) são divulgados às quartas-feiras. "Foi um movimento impressionante dos preços novamente", disse um corretor. A correção em baixa foi superficial e breve. As tendências de curto e médio prazos permanecem solidamente para cima", acrescentou. "Foi um tipo de dia de ajuste de posições antes dos dados de amanhã", disse Mike Zarembski, analista da corretora Xpresstrade, em Chicago. "O sentimento ainda é bastante bullish (de alta), mesmo embora hoje tenha sido um dia sem brilho", acrescentou. A mediana das expectativas dos analistas entrevistados pela Dow Jones é de um declínio de 1,8 milhão de barris nos estoques de gasolina na semana passada e uma queda de 800 mil barris nos estoques de destilados - que inclui diesel e óleo para aquecimento. Para os estoques de petróleo bruto, espera-se um aumento de 1,1 milhão de barris. Os preços dos futuros de petróleo continuam recebendo suporte das preocupações com relação ao impasse entre o Irã e o Reino Unido sobre os 15 integrantes da marinha britânica capturados pela força naval iraniana na semana passada. Embora os operadores não esteja esperando que o confronto cresça para um conflito militar, "um pouco do risco-prêmio está voltando ao mercado", disse Zarembski. No pregão viva-voz da Nymex, os contratos de petróleo para maio subiram US$ 0,02, ou 0,03%, e fecharam a US$ 62,93 por barril. A mínima foi de US$ 62,30 e a máxima de US$ 63,05. Os contratos de gasolina para abril subiram 53 pontos, ou 0,26%, e fecharam a US$ 2,0730 por galão. Em Londres, no sistema eletrônico da ICE Futures, os contratos de petróleo Brent para maio subiram US$ 0,19, ou 0,30%, e fecharam a US$ 64,60 por barril. A mínima foi de US$ 64,03 e a máxima de US$ 64,79. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.