Petróleo segue volátil enquanto investidor observa Egito

No começo do dia, o receio de que o aumento dos protestos contra o governo egípcio pudesse interromper o tráfego das exportações ou se espalhar para outros países produtores da commodity provocou alta nos preços

Danielle Chaves, da Agência Estado,

31 de janeiro de 2011 | 10h36

Os preços internacionais do petróleo oscilam entre o terreno positivo e o negativo, com o mercado de olho na crise política no Egito e em seus potenciais efeitos sobre a operação do Canal de Suez, uma importante rota de transporte de petróleo para o Mar Mediterrâneo.

No começo da manhã, o receio de que o aumento dos protestos contra o governo pudesse interromper o tráfego das exportações ou se espalhar para outros países produtores de petróleo da região ajudou a provocar uma alta nos preços do petróleo tipo Brent para perto de US$ 100 por barril. No entanto, sem uma indicação mais clara de como os eventos vão se desenrolar, os preços recuaram das máximas.

O Egito opera o Canal de Suez, uma das rotas de transporte mais usadas do mundo. De acordo com o Departamento de Energia dos EUA, em 2009 cerca de 1 milhão de barris por dia de petróleo e derivados foram levados para o Mar Mediterrâneo e 800 mil barris diários foram transportados em direção ao sul, para o Mar Vermelho, através do canal.

O mercado de petróleo pode ter uma deficiência real se as operações em Suez forem prejudicadas, comentou Abdalla Salem El-Badri, secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). El-Badri afirmou que ainda não há necessidade de a Opep realizar uma reunião de emergência formal antes da conferência marcada para junho. Decisões sobre mudanças na produção de petróleo dos países da Opep só podem ser decididas em reuniões formais.

Os problemas no Egito tiraram a atenção dos investidores da diferença entre o valor do petróleo tipo Brent e o WTI, que aumentou para mais de US$ 12 por barril na semana passada. Com as ofertas globais ameaçadas, os contratos futuros do petróleo WTI, negociado na Nymex, parecem estar dando início a um processo para se equipararem com o Brent. Hoje a diferença está em menos de US$ 10 por barril.

Às 10h25 (de Brasília), o petróleo Brent para março caía 0,64%, para US$ 98,78 por barril, na plataforma ICE, enquanto o petróleo WTI para março subia 0,09%, para US$ 89,42 por barril, na Nymex. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.