Petróleo sobe 0,27% e fecha a US$ 93,26 o barril em NY

Na plataforma ICE, o petróleo tipo Brent caiu US$ 1,52, ou 1,34%, para US$ 111,69 por barril

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

20 de junho de 2011 | 17h44

Os preços dos contratos futuros do petróleo fecharam em direções divergentes, avançando levemente na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), mas caindo na plataforma ICE, em meio a receios com a situação financeira da Grécia.

O contrato do petróleo para julho negociado na Nymex - que expira amanhã - subiu US$ 0,25, ou 0,27%, para US$ 93,26 por barril, com mínima de US$ 91,14 por barril durante as negociações. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para agosto caiu US$ 1,52, ou 1,34%, para US$ 111,69 por barril.

O mercado de petróleo, assim como o de ações e os de outras commodities, está concentrado na crise da Grécia e nos efeitos que um potencial não pagamento da dívida do país teria sobre os grandes bancos da Europa e sobre a recuperação da economia. No final de semana, autoridades financeiras europeias discutiram a situação das contas públicas gregas e hoje anunciaram que a Grécia só receberá a próxima parte do pacote de resgate financeiro se os parlamentares de Atenas aprovarem as novas medidas de austeridade fiscal.

O projeto com as novas medidas já foi apresentado ao parlamento do país pelo primeiro-ministro grego, George Papandreou, mas será colocado em discussão apenas depois de o governo ser submetido amanhã a um voto de confiança no parlamento. Diante das incertezas em relação ao desfecho desse episódio, os operadores passaram a vender ativos considerados arriscados, como o petróleo, visto que a rejeição do governo de Papandreou pelos parlamentares pode agravar o quadro político e financeiro da Grécia.

Na Nymex, o preço do petróleo conseguiu fechar em leve alta porque havia fatores técnicos dando suporte aos preços. Na semana passada, o contrato da commodity para julho registrou o menor preço em quatro meses e hoje aparentemente se estabilizou perto da média de negociação dos últimos 200 dias. "Talvez tenhamos suporte na região dos US$ 90", disse Tom Bentz, diretor do BNP Paribas Commodity Futures. "Estamos esperando por mais notícias antes de seguir em qualquer direção." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleobarrilNymexBrentGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.