Petróleo sobe a US$ 73,92 o barril com ataque na Nigéria

A informação de que houve ataques contra uma estação de petróleo da Eni SpA no Delta do Níger, na Nigéria, leva o preço do petróleo para cima nesta manhã, invertendo a direção do fechamento de ontem. Mas a alta não é relevante até o momento. A commodity deve definir direção mais tarde, depois da divulgação dos níveis dos estoques norte-americanos de petróleo, gasolina e derivados. As atenções continuam centradas nos números sobre as reservas de gasolina, tendo em vista o período de férias no Hemisfério Norte, pico de consumo do combustível. A previsão dos economistas ouvidos pela Dow Jones é queda, em média, de 280 mil barris nos estoques de gasolina nos EUA. Os relatórios saem às 11h30 (de Brasília). Paralelamente, o conflito no Oriente Médio é motivo para impedir qualquer recuo no preço do petróleo por enquanto. Às 8h45 (de Brasília), o contrato de setembro do petróleo subia 0,23% no pregão eletrônico da Nymex (Bolsa Mercantil de Nova York), para US$ 73,92 o barril. Na plataforma eletrônica ICE, em Londres, o contrato de mesmo vencimento avançava 0,63%, para US$ 73,74 o barril. A companhia italiana Eni SPa informou queda significativa no montante de petróleo tratado em sua unidade Ogbainbiri, na Nigéria, depois de ataque armado contra as instalações ontem no fim do dia. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.