Petróleo sobe a US$ 74 com ofensiva de Israel

Os contratos futuros de petróleo sobem nas negociações eletrônicas de Londres e Nova York esta manhã, em meio à expectativa de que Israel estaria preparando uma grande ofensiva por terra contra o Líbano. O exército israelense disse hoje que está convocando mais reservistas para aumentar suas forças atuais no norte do país. Os ataques contra o Líbano foram retomados logo ao amanhecer desta sexta-feira. Mísseis foram lançados sobre a principal estrada que liga o país à Síria e um ônibus de passageiros pegou fogo, segundo a polícia. O mercado de petróleo também segue em alta por causa da forte demanda por gasolina nesta temporada de viagens nos EUA por causa das férias de verão. Ontem os contratos do combustível subiram com a notícia de que uma unidade produtora da Valero Energy na Louisiana havia sido fechada. Analistas do JP Morgan disseram que o fato de os preços do contrato de petróleo bruto para setembro na Nymex estarem operando abaixo das máximas da semana passada é um indício de que as cotações estariam nos primeiros estágios de uma fase de consolidação. "Levando em conta o curto prazo, acreditamos que uma recuperação desse declínio esteja próxima e estamos nos posicionado do lado das compras", disseram os analistas. Às 8h40 (de Brasília), o contrato de petróleo Brent transacionado na ICE Futures, em Londres, subia 0,85%, para US$ 74,35 o barril. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex eletrônica), o petróleo bruto para setembro avançava 0,51%, cotado a US$ 74,65 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.