Petróleo sobe a US$ 91 com sinal de demanda forte

Contratos futuros encerraram o dia no maior nível em quase três semanas na New York Mercantile Exchange

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 18h44

Os preços dos contratos futuros do petróleo subiram e fecharam no maior nível em quase três semanas na New York Mercantile Exchange (Nymex), impulsionados por sinais de que a oferta da commodity está diminuindo.

O contrato do petróleo para dezembro negociado na Nymex subiu US$ 3,87, ou 4,43%, para US$ 91,27 por barril. Com isso, a diferença de preço entre o contrato para dezembro e o contrato para janeiro de 2012 passou a ser de US$ 0,13, colocando o mercado numa situação de "backwardation" - quando é mais caro comprar a commodity agora do que no futuro -, sugerindo um aperto na oferta.

Na maior parte do tempo desde a explosão da crise financeira em 2008, o mercado de petróleo encontrava-se na situação inversa, chamada "contango". A mudança serviu como argumento àqueles que esperavam uma oportunidade para apostar na valorização do barril e estimulou a cobertura de posições vendidas.

"Começaremos a ver pessoas acreditando que será mais fácil o preço subir do que cair", disse Carl Larry, diretor de pesquisas e derivativos da Blue Ocean Brokerage. "Agora que a situação se inverteu, muitas pessoas que estavam esperando um declínio nos preços também terão de inverter ou neutralizar suas posições."

Embora o "backwardation" seja bom para os investidores que estão apostando na alta do petróleo, pode prejudicar os consumidores por indicar um aumento nos preços de combustíveis se essa condição continuar por um período prolongado. Como o "backwardation" acabou de surgir e ainda pode ser revertido, analistas ainda hesitam em classificá-lo como uma tendência definida.

Os preços do petróleo também subiram em meio a expectativas de que a União Europeia anunciará na quarta-feira um pacote com soluções eficazes para conter a crise das dívidas soberanas da região, mas também há alguns investidores que não mergulharam no otimismo do mercado.

"Acho que algumas pessoas que não acompanham o mercado estão esperando algum tipo de grande solução, mas não acho que teremos isso", disse Brian Habacivch, vice-presidente da empresa de gerenciamento de energia Fellon-McCord. "Talvez (o plano) ofereça alívio pelos próximos meses, mas não será uma solução" definitiva, acrescentou. Na plataforma ICE, o contrato do petróleo tipo Brent para dezembro subiu US$ 1,89, ou 1,72%, para US$ 111,45 por barril. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
petroleodemanda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.